Porque a carta de Lana Wachowski sobre a volta de Sense8 é preocupante

 

É sempre triste quando uma de suas séries favoritas é cancelada. É triste, mas nós sobrevivemos.

Por isso, não acho que a verdadeira razão para a revolta dos fãs de Sense8 foi o seu cancelamento, mas sim o seu final – com o perdão do português – ESCROTO. Chamar aquilo de “final”, inclusive, é um elogio.

Em um post anterior eu falei sobre como achava errado que as Wachowski – criadoras, roteiristas e diretoras de Sense8 – estivessem escapando imunes desse turbilhão quando, ao meu ver, elas são as principais responsáveis.

A megalomania dessas duas irmãs e diretoras vem destruindo projetos há 10 anos. Literalmente. E com Sense8 não foi diferente.

Rumores do cancelamento da série por estouro de orçamento começaram a chegar para o público. E, amigos, se a fofoca chegou pra gente… certeza que as CRIADORAS já sabiam muito antes.

Em respeito ao público, elas poderiam ter feito um final decente. Ao invés disso, mais uma vez, ligaram o “foda-se” e fizeram aquele final – repito – ESCROTO, deixando o pessoal lutar por elas.

E foi exatamente o que a comunidade fez: clamou por um final até que a Netflix concordou em fazer um último especial de 2 horas. Uma conclusão. Aleluia. Obrigada.

Então, Lana Wachowski (principal responsável pela segunda temporada, já que sua irmã estava se recuperando) liberou uma carta que eu achei preocupante, para dizer o mínimo.

Não vou reproduzir a carta completa aqui, mas apenas o parágrafo final:

“É minha grande alegria, assim como da Netflix , anunciar que vai ter outro especial de 2 horas lançado no ano que vem. Depois disso… bom, se essa experiência me ensinou alguma coisa, é que a gente NUNCA sabe.”

 

Em uma primeira leitura você pode achar esse trecho perfeitamente inocente.

Mas, pensa comigo.

Por que ela disse “nunca se sabe”?

Miga, a série foi cancelada. A Netflix se compadeceu do final merda que vocês deram pro público e deu uma segunda chance pra CONCLUIR a parada… e você já tá com olho gordo pra possibilidade de uma continuação?

Miga, melhore.

Comecei a ler a carta esperando que ela apenas demonstrasse gratidão e uma promessa de um final digno. Uma despedida honrada para os personagens que tanta gente aprendeu a amar.

Ao invés disso, a Senhorita Cobiça faz uma carta dando indireta. Como se dissesse “Vocês reclamaram e deu certo. Reclamem de novo que eu quero dinheiros”.

Mas o que a gente quer é um final.

Conhecendo a reputação dessas duas –  e seu histórico de fazer filmes sem final na pretensão de conseguir mais projetos (cof cof Jupiter Ascending) – essa carta me deixou realmente temerosa que as Wachowski mais uma vez tragam um final escroto, para forçar mais uma revolta, usando os fãs como marionetes para conseguir seus investimentos. E em troca? Nada além de discursos bonitos de “eu também sou nós”

O problema é que “ser nós” por definição, significa se preocupar com os outros e não apenas consigo.

Agora, é esperar para ver se as Wachowski vão colocar o público na frente de suas ambições.

Ou, se um novo final escroto vier, esperar que a Netflix o vete, antes que ele chegue às nossas casas.

3 comentários em “Porque a carta de Lana Wachowski sobre a volta de Sense8 é preocupante

  1. Não acho que seja isso, Whachowski fazem um trabalho excelente… A revolta do fãs, teve sim em grande parte o facto de que uma série tão Boa e com tão bom conteúdo tenha sido cancelada..

  2. Quem escreveu esse texto, no mínimo, não tem conhecimento algum sobre os processos de desenvolvimento no cinema e na televisão. É muita, muita ignorância culpar um diretor pelo cancelamento de um projeto, ainda mais Sense8 que significa muito para as irmãs. Achar que a série iria continuar pela qualidade e não pelo público chega a ser cômico, se fosse assim, séries como Hannibal e The Knick estariam aí até hoje. Você passou o texto inteiro chamando o último episódio de “final” da história da série, mas ué, se a série foi cancelada, como a história teve o final concluído? A série estava prevista para ter TRÊS temporadas, com conteúdo para NO MÁXIMO de cinco temporadas. Então fica bem ingênuo dizer que foi o “final que a Lana nos deu”, e não o final que a empresa responsável pela série nos deu. “Não sei se você sabe”, mas a Netflix é uma empresa privada, e se não estiver dando lucro, é óbvio que irão cancelar. Mas espera aí: por quê será que séries que tratam sobre temas como comunidade LGBTQ+, racismo, feminismo estão sendo canceladas? Será que é culpa dos diretores ou da empresa responsável que não divulga séries como Sense8, The Get Down, Dear Whitle People etc da mesma forma que divulga 13 Reasons Why, Stranger Things e afins? É muito engraçado ler que as duas irmãs estão estragando projetos há 10 anos sendo que existem centenas de cineastas que sempre fizeram e continuarão fazendo isso e nunca recebem reclamações diretas. Duas diretoras, das poucas no mundo, que ainda por cima são transsexuais, que se demonstram se importar com a arte do cinema fazendo algo novo e arriscado em todas suas obras sempre são desmerecidas por suas obras não aclamadas, como se não fosse comum no cinema. Isso é questão de bom senso, gosto de vários filmes das Wachoswkis do mesmo jeito que não gosto de vários, e isso não me dá o direito de anular todas as coisas boas ou ruins e tomar só um lado. Não se pode negar que elas, com projetos bons ou ruins, sempre tentam abordar uma questão (em grande parte filosóficas) importante na sociedade. Enfim, assim como vários estão dizendo, texto feito com muita má intenção e pouca pesquisa. Fraco.

Deixe uma resposta