O casal por trás das ilustrações

O ilustrador israelense Yehuda Devir chamou atenção pelo conjunto intitulado “One of these days”, (“Um dia desses”), em que mostra, de um jeito carinhoso e descontraído, seu dia-a-dia com a esposa.

O sucesso das ilustrações garantiu a Devir espaço em comic cons regionais, a publicação de um livro com tiragem de colecionador, quase um milhão de seguidores no Instagram e funkos personalizados.

Para uma edição especial, a revista israelense Laisha preparou um ensaio fotográfico e convidou o casal a reproduzir algumas das artes.

Confira:

 

 

 

 

 

 

Pela internet, críticas foram feitas ao trabalho de Devir, não apenas pela objetificação da figura feminina de modo geral

 

Como a de sua própria esposa.

 

Defensores alegam que ele sexualiza a si mesmo, também, além de produzir ilustrações de conscientização a violência contra a mulher.

Mesmo assim, no entanto, é difícil negar o elemento sexista em alguns de seus trabalhos como, por exemplo, a graça que tenta fazer com a “agressão sexual acidental” em um vagão de trem apertado, ou ao fato de detestar inverno porque sua mulher não se depila e fica “peluda como um lobisomem”…

A pessoa representada, no entanto, parece ser a opinião mais relevante aqui. E Maya parece perfeitamente satisfeita com sua versão gráfica e apoia publicamente o trabalho do marido. Mas, diante disso tudo, não deixa de ser desagradável ler os comentários indecorosos de homens pela internet fetichizando o que, na maior parte das vezes, deveria ser uma representação artística de intimidade e carinho.

Acho que seguimos obedecendo a regra 34 da internet: Se algo existe, vai ser transformado em pornô.

Deixe uma resposta